Reproduction of Hyacinthine Macaws at the Rodeo Drive Scientific Breeding Centre Rio Janeiro

by M.WEINZETTL-PINHEIRO and R.F.TEIXEIRA-DE-FREITAS. A report in the March/April 2002 issue of Atualidades Ornitologicas, the leading Brazilian bi-monthly newpaper for aviculturists and ornithologists.

Reprodução de Arara Azul (Anodorhynchus hyacinthinus - Psittacidae, Psittaciformes) no Criatório Cientifico Rodeo Drive - Guaratiba, RJ

M.Weinzettl-Pinheiro e R.F.Teixeira-de-Freitas

Palavras chave Anodorhynchus - Arara - Psittacidae -Incubação - Reprodução Key words: Anodorhynchus - Macaw - Psittacidae - Incubation - Reproduction Titulo abreviado: "Reprod. de Arara Azul (A. hyacinthinus - Psittacidae, Psittaciformes no CCRD - Guaratiba.RJ".

No Criatório Cientifico Rodeo Drive, RJ, obteve-se sucesso reprodutivo de um casal de Arara Azul (Anodorhynchus hyacinthinus) alimentado com ração comercial peletizada e alojado em gaiolão de 3m de comprimento x 1,8m de largura x 1,8m de altura. Observaram-se 3 posturas de 3 ovos cada em um período de 12 meses, com 100% de fertilidade. De um total de 9 ovos, 8 eclodiram e 6 filhotes vingaram, sendo que 1 embrião morreu na 2a. semana de incubação com os pais. Incubou-se artifícialmente um dos ovos à 37,4° C e 50% de umidade relativa, com perda de umidade até o "pip" de 9,l% em 30 dias de incubação. Já para os ovos incubados naturalmente, a média do período de incubação foi de 28 dias e o intervalo entre ovosde mesma postura foi de 3 a 4 dias, com o pico reprodutivo registrado no mês de outubro. A média de peso dos filhotes ao nascer foi de 26,09g, apresentando 570,25g com 1 més, 1.110g com 4 meses, 1.200g com 6 meses e atingindo nos 2 filhotes mais velhos l.325g com 18 meses.

II-ABSTRACT
In the Rodeo Drive Scientific Bird Farm, in Rio de Janeiro, success has been achieved in the reproduction of a couple of Hyacinthine Macaw (Anodorhynchus hyacinthinus) fed on commercial pellet food and living in a bird cage from 3m long x 1.8m wide x 1.8m high. Three layings of three eggs each were observed in a period of 12 months, with 100% of fertility. Out of a total of nine eggs, eight hatched and six young birds survived, although one of the embryos died in the second week of incubation with the parents. One of the eggs was artificially incubated at 37.4° C and 50% of relative humidity with a loss of humidity up to the pip of 9.1% in 30 days of incubation. As for the naturally incubated eggs, the average period of incubation was of 28 days and the interval between the eggs of the same egging was of three to four days, being the highest reproductive period registered in the month of October. The average weight of the birds at birth was 26.09g, 570.25g When they were one month old, l,110g at four months and 1200 g at six months. The two oldest ones weighed 1,325g at eighteen months of age.

III - INTRODUÇÃO
Arara Azul (Anodorhynchus hyacinthinus) está no Apêndice I do CITES (Low, 1990), e sua reprodução em cativeiro ainda é considerada bastante reduzida, uma vez que poucas pessoas podem investir em sua criação, que é considerada bastante dispendiosa (Low, 1992). Na natureza, a espécie pode ser encontrada em buritizais, matas ciliares e cerrado adjacentes (Sick, 1997) do interior do sudeste do Brasil, do leste do Rio Tapajós até o Maranhão, do sul ao Bahia, den Goiás a Minas Gerais e em Mato Grosso (Forshaw, 1978). Além do leste da Bolívia e extremo nordeste do Paraguai (Low, 1992).

São monogâmicos, com pico de nascimento na primavera e início do verão. A maturidade das Araras, apesar de pouco documentada, gira em torno de 4 a 7 anos (Schubot, 1992), porém em cativeiro não ha registros de reprodução de Arara Azul com menos de 10 anos de idade. Podem ocorrer de I a 2 posturas por ano e 1 a 2 ovos por postura, com intervalo de 2 a 5 dias (Guedes, 1995). 0 período de incubação varia de acordo com o autor. Jordan (1989) cita 26 a 28 dias, Guedes (1995) cita 28 a 30 dias, Low (1990) cita 27 dias, já Abramson (1995) cita a variação de 25 a 30 dias e o nascimento do filhote com média de 23,4 g, 206,8 g com 2 semanas, 363,3 g com 3 semanas, 706,8 g com 1 més, 1.055,7 g com 40 dias e 1.198,3 g com 45 dias. A perda de umidade durante a incubação gira em torno de 17 a 20% (Jordan, 1989). As Araras desmamam com no mínimo 4 meses (Schubot, 1992), porém as Azuis são as únicas que não expulsam os filhotes do ninho para procriar novamente(Silva, 1991). Segundo Low (1992), o desenvolvimento de filhotes criados pelos pais em Chicago em 1972 foi em média de 18,6 g ao nascer, 172,5 g com 2 semanas, 324,5 g com 3 semanas, 498,5 g com 4 semanas, 663,5 g com 5 semanas e 643 g com 6 semanas.

0 objetivo do trabalho é descrever dados reprodutivos de Arara Azul em cativeiro e fornecer dados sobre a incubação artificial de 1 ovo de Arara Azul.

IV. MATERIAL E MÉTODOS
0 casal de Arara Azul (Anodorhynchus hyacinthinus) em questão, entrou por doação no Criatório Cientifico Rodeo Drive em 1993, já na fase adulta, porém sem idade definida. Segundo o antigo criador, este casal já havia reproduzido em 1989, sob seus cuidados. Foram alojados primeiramente em um viveiro de alvenaria e tela, bastante espaçoso de 6m x 14m x 4m dealtura, com vegetação farta e variada, 2 tipos de ninho; de caixa e de barril; e alimentação composta de mistura de grãos nos primeiros 18 meses e depois por ração comercial peletizada importada, balanceada especificamente para Araras da marca "Pretty Bird - Hi-Energy" com 15% de proteina e 10% de gordura. Durante a época reprodutiva, também foram fornecidas frutas da época e milho verde em espiga.

O casal foi então transferido para um gaiolão de 3 m de comprimento x 1,8 m largura x 1,8 m de altura, a 50 cm do chão, com ninho em formato de caixa de 90 cm de comprimento x 45 cm de largura x 60 cm de altura, na parte externa do viveiro e com porta de manejo a fim de facilitar o monitoramento de ovos e filhotes. Os 2 poleiros existentes são localizados nas extremidades da gaiola e em 2 níveis diferentes, sendo o mais alto, mais próximo à entrada do ninho.Ambos os poleiros são de ipê e apresentam 2,5 polegadas de diâmetro.

A sala de incubação artificial é climatizada a aproximadament 20º Celsius e 40 a 50% umidade relativa, de maneira a evitar oscilaçôes nos maquinários e a proliferação de microorganismos indesejáveis. A incubadoras utilizadas foram a "Grumback", de marca alemã (Swan Creek Supply Ind. Michigan, USA) de viragem automática para a incubação dos ovos, e a "Lyon", marca norte-americana (2765 Main Street, Chula Vista, CA92011, USA) de viragem manual para servir de nascedouro para os filhotes. Uma balança de precisão - "Scientech, series 5,000, electronic Balances" - e um ovoscópio da marca "Lyon- Hi-intensity egg candler" também fazem parte do material da sala de incubação. Gráficos de monitoramento da perda de umidade dos ovos descritos por Harvey (1990) e Brown (1987) também são utilizados.

A creche dispõe de "Intensive Care" da marca "Pet"iatric Supply que tem por finalidade fornecer o aquecimento necessário aos filhotes de Psittacideos em suas diferentes fases de desenvolvimento, além de uma balança de precisão da marca "Toledo Exata SC", que permite fazer o acompanhamento do ganho de peso dos mesmos. Os filhotes de Arara são alimentados com ração comercial farelada importada, balanceada especificamente para filhotes de Araras da marca "Pretty Bird" com 19% de ptn e 15% de gordura. A metodologia de criação na mão segue como referência as publicações de Fowler (1993), Silva (1991), Jordan (1992), Low (1992), Abramson (1995) e Burgmann(1993).

V-RESULTADOS
O casal em questão permaneceu no 1°.viveiro descrito por 2 anos e 2 meses, porém nunca houve postura. Foi transferido para o gaiolão descrito, em fevereiro de 1996, após mudanças na metodologia de criação de Psittacideos do Criatório. Exatamente 8 meses depois, no mês de outubro de l996, obtivemos a sua primeira postura.

O primeiro ovo foi transferido para a incubação artificial, pois uma vez não se conhecendo o histórico reprodutivo do casal, havia a possibilidade de quebra do mesmo. Foi então, colocado um ovo branco de Phasianidae no lugar do ovo retirado, a fim de observar o comportamento do casal. Com um intervalo de 4 dias houve nova postura, porém desta vez o ovo foi mantido no ninho, já que o ovo de Phasianidae apresentava-se intacto e quente. Alguns dias depois foi observada a postura do terceiro ovo e após 6 dias, já podendo ser possível visualizar fertilidade nos 3 ovos, o ovo de Phasianidae não foi mais encontrado no ninho. A biometria média dos 3 ovos foi "comprimento total" = 50,35 mm (49,22 -51,60 mm) "largura" = 36,13 mm (35,76 - 36,40 mm) e "peso" = 36,56 g (35 - 39g).

O ovo 1, foi incubado artificialmente na "Grumback" com viragem de 90°, a cada hora, a uma temperatura de 37,4° C e umidade relativa igual a de50%. 0 processo de incubação foi monitorado com auxílio de um gráfico de perda de umidade com o controle de peso em dias alternados, levando em consideração as referências citadas por Jordan (1989) e a experiência pessoal na incubação de ovos de demais gêneros de Araras. Com 12 dias o ovo havia perdido muito pouca umidade e diminuimos a mesma para 30%. Com 20 dias de incubação,apesar de reduzida a umidade de incubação, o gráfico continuava demonstrando pouca perda de umidade, então optou-se por retornar aos 50% de umidade, uma vez que a umidade muito baixa por grande período poderia prejudicar o embrião, além de esta espécie ser de clima úmido e a incubação a baixa umidade não parecia compativel. Após um período de incubação de 30 dias, nasceu a filhote, tendo sido necessário ajudá-lo a nascer. A perda de umidade estimada sem o manejo descrito seria de 7,77 %, porém com o manejo de umidade, a perda durante a incubação até o "pip" foi de 9,1% (Gráfico 1) sendo que a perda total estimada durante a incubação foi de 14,1 % e a espessura da casca de 0,259 mm.

O filhote 1, criado na mão, seguiu a metodologia descrita.anteriormente. Seu peso ao nascer foi de 24,05 g, apresentando 26 g no 3a dia, 35g no 5a dia (Foto 1), 50 g no 8a dia, 73 g no 12a dia, 157 g no 18a dia (Foto 2), 315 g no 26a dia, 758 g no 42a. dia, 1.084 g no 52a. dia e 1.350 g com 18 meses. Com 14 dias abriu os olhos, com 31 dias foi anilhado com anihla de 15,6 mm de diâmetro e com 52 dias iniciou seu processo de desmame.

Os filhotes dos ovos 2 e 3, que foram incubados pelos pais no ninho, nasceram 2 e 5 dias após o nascimento do filhote 1, pesando respectivamente 39g no 2a dia, e 26.8g no 1a dia o filhote 3 foi encontrado morto no ninho 3 dias após o nascimento com o papo vazio e pesando 23,5g. Já o filhote2 apresentou um desenvolvimento considerado normal, pesando 40g no 3a dia, 57 g no 6a dia, 125 g no 10a dia, 225 g no 16a dia (Foto 3), 400 g no 23a dia, 650g no 29a dia e 725g no 35a dia (Foto 4) quando foi anilhado e retirado do ninho para criação na mão, a fim de estimular nova postura do casal. Com 42 dias pesou 930 g, com 49 dias pesou exatamente os mesmos 1.084 g que o filhote 1 e aos 18 meses pesou 1.300g.

No més de setembro de 1997 iniciou-se novamente a postura, totalizando 3 ovos, com intervalo em torno de 3 dias. 0s 3 ovos foram mantidos no ninho e todos foram fertilizados. 0 embrião do ovo 2 morreu na segunda semana de incubação. O filhote do ovo 1 nasceue foi alimentado normalmente pelos pais, porém foi transferido para criação na mão com 6 dias e 79g de peso; dois dias após o seu nascimento e um dia após o óbito do filhote de ovo 3. O manejo de criação na mão foi o mesmo descrito anteriormente e seu desenvolvimento foi considerado normal, tendo o filhote atingido 211g com 15 dias, 654g com 30 dias e 1.200g com 6 meses.

O ninho do casal reprodutor é renovado sempre ao término da fase reprodutiva, sendo seu material composto de 1 camada de areia lavada desinfetada e 1 camada de capim seco.

Exatamente 28 dias após a retirada do filhote do ovo 1 da última postura, houve o início de 3a postura. A postura totalizou 3 ovos, com um intervalo estimado de 3 dias. Todos os 3 ovos foram fertilizados, porém os ovos 1 e 2 foram transferidos para incubação respectivamente e sustituidos por 2 ovos falsos de porcelana, afim de não estressar o casal.

End of report

Latest News

  • Thursday 7th November 2019
    Loro Parque Foundation has reintroduced six Lear’s into the wild in Brazil

    I read a report on the blog page of the Loro Parque Foundation published in February 2018 that they sent six Lears bred in Loro Parque in Tenerife to Brazil in August 2017 to be reintroduced into the wild there. They have managed to adapt to ... Read More »

Quotes

 " Naturam expellas furca, tamen usque recurret "

( If you drive out nature with a pitchfork, she will soon find a way back)

Horace (65-8 BC)